Home Notícias Projetos inusitados e plataformas digitais prometem desenvolver o gosto pela leitura nos pequenos

Projetos inusitados e plataformas digitais prometem desenvolver o gosto pela leitura nos pequenos

Mais do que uma forma de cuidado, estimular a leitura leva a criança a experimentar sensações únicas, despertar o lúdico e promover a interação, comportamentos tão desejados para uma infância feliz. Neste 24 de agosto, data em que se comemora o Dia da Infância, especialistas defendem o hábito da leitura para transformar as realidades de crianças e adolescentes no Brasil e no mundo.
 

De acordo com Maria Angélica Cardoso, professora de produção de texto do Colégio Cândido Portinari, em Salvador, escola e família devem ser os grandes incentivadores do hábito da leitura. “A descoberta da leitura acontece de modo particular e diferente para cada um. Pode começar desde a infância, quando os pais leem para os filhos antes de dormir, da avó que conta histórias do seu tempo, na escola com o estímulo da leitura de livros, com os professores iniciando um capítulo de uma narrativa, uma conversa com um escritor e por meio de projetos de Literatura”, avalia a professora, que há 5 anos promove projetos de incentivo à leitura como o “Contação de Histórias” e o “Conto de Fadas Diferentes”.
 

Para a coordenadora da Educação Infantil do Colégio Montessori Santa Terezinha, em São Paulo, Solange Rodella, “o hábito da leitura entrega uma série de benefícios que incluem empatia, fortalecimento da criatividade, construção do senso crítico, além da redução do estresse. Mais do que isso, ajuda a desenvolver uma série de habilidades, entre elas, a linguagem, tão impactada com o período de isolamento social”. Pensando em um investimento maior para auxiliar o desenvolvimento da linguagem, o Colégio adotou uma série de medidas para aumentar a interação entre as crianças: atividades com jogos simbólicos, cantigas de roda foram intensificadas assim como as oficinas de histórias com histórias contadas de diferentes formas, tudo para aumentar a interação dos pequenos. “O ambiente escolar oferece muitos estímulos, é propício para a interação e deve criar oportunidades para isso”, comenta Solange.
 

Escolas da Inspira Rede de Educadores embarcam em projetos para estimular os pequenos leitores:
 

Contação de Histórias e Conto de Fadas Diferentes, Colégio Cândido Portinari, em Salvador
 

O “Contação de Histórias” tem a intenção de apresentar ao aluno o universo das narrativas e dos contos clássicos como instrumento para estimular o gosto e o hábito da leitura e desenvolver a imaginação. Para atrair a atenção do aluno nesse contexto virtual, os alunos são convidados a partilhar as narrativas desenvolvidas a partir da leitura de livros e de filmes aos quais tiveram acesso. “Os resultados são maravilhosos, eles se vestem com os personagens, desenvolvem a escuta, a oralidade e a escrita. Percebemos ainda que durante a prática eles entendem a importância da cooperação e socialização, algo que é extremamente importante nessa fase de distanciamento físico”, analisa Maria Angélica Cardoso. Durante a prática das atividades, os alunos chegam a ler 6 livros, em média.
 

A ideia do Conto de Fadas Diferentes surgiu no momento em que os alunos abordavam temas relevantes e atuais, temas sobre a natureza e questões sociais, por meio de personagens já conhecidos. Eles passaram a criar versões mais modernas, trazendo novas perspectivas, contextos mais atuais e com características mais representativas do perfil brasileiro”, revela Maria Angélica.
 

A Hora do Conto, Colégio Stella Maris, Curitiba (PR)
 

É um momento único, totalmente dedicado à leitura, em que crianças e adolescentes param para ouvir histórias. Alunos e professores se conectam em um universo mágico, onde os professores incorporam os personagens e os alunos sonham alto, usam a imaginação para irem além do que se pode ver e ouvir. Incentivar o hábito da leitura está diretamente ligado à alfabetização. É a partir da leitura que as crianças aperfeiçoam o vocabulário, aguçam a audição e melhoram a interpretação.
 

Lampejos, Colégio Universitário, Londrina (PR)
 

Focado no Ensino Fundamental, o projeto tem como objetivo proporcionar aos alunos novas vivências comunicativas diversificando e aprimorando a interpretação e a oralidade. A poesia, além de enriquecer nosso pensamento crítico, potencializa nossa capacidade de interpretar e nossa criatividade, permitindo a construção de símbolos e metáforas, porque brinca com ritmos, sons e com a linguagem.
 

Leitura Digital
 

Com o início da pandemia, em 2020, muitas crianças passaram a exercitar o hábito de leitura por meio de plataformas digitais. “No mundo cada vez mais digital, o ideal é que as experiências da leitura sejam variadas. Devemos oferecer à criança as possibilidades de vivenciar todas elas, seja por meio de um livro tradicional ou por meio de um tablet ou dispositivo digital, que oferece recursos interativos não presentes no papel”, comenta Alexandre Sayão, CEO da Plataforma A+.
 

A Plataforma oferece o Leia+, que reúne milhares de opções de leitura, desde obras de literatura, até jornais, revistas, artigos e periódicos, materiais que podem ser acessados pelos alunos das escolas associadas. De acordo com especialistas, o uso das telas pode ajudar a estimular a leitura na infância, desde que o conteúdo consumido gere interação e curiosidade na criança. “A leitura digital permite maior interatividade, é capaz de apresentar gráficos animados, vídeos explicativos e links funcionais que podem levar para outros sites. Por meio das plataformas, é possível promover atividades que incentivem uma aprendizagem mais ativa a partir da leitura. Praticidade no acesso e sustentabilidade são outras grandes vantagens da modalidade”, avalia Sayão.

Fonte: Jornal A Voz do Paraná

Share:

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *